Prefeitura Municipal de Bambuí

Clique aqui, e confira os dados no site do IBGE.

 

Bambuí é um município brasileiro que está localizado na região Centro-Oeste de Minas Gerais e faz parte da região da Serra da Canastra. Bambuí faz divisa com os municípios de Luz, Córrego Danta, Tapiraí, Medeiros, São Roque de Minas, Piumhi, Doresópolis e Iguatama

A cidade foi fundada em 10 de Julho de 1886. De acordo com o censo realizado pelo IBGE em 2010, sua população é de 22.734 habitantes e em 2018 o censo registra 23.757.

O município tem uma área total de 1453,99 km² e fica a 270 km de distância da capital Belo Horizonte. Os acessos rodoviários a Bambuí são pelas rodovias BR 354, BR 262 MG 050 e LMG 827.

Economia: A economia da cidade tem entre os seus pilares a agricultura e o comércio, além da área de serviços.

A principal produção mineral de Bambuí é a extração de caolim, e a agrícola é o café, arroz, milho, soja e cana de açúcar. A pecuária bovina também sempre se destacou na produção de leite e de carne. A economia da cidade está sendo movimentada também pela usina de álcool e açúcar Bambuí Biocombustível S/A, com uma parte pertencente ao Grupo Petrobras, cujo investimento previsto é de cerca de 250 milhões de reais.

A educação da cidade conta com o Instituto Federal de Minas Gerais, Campus Bambuí, com cursos superiores e técnico em agropecuária e meio ambiente. A cidade tem ainda as redes de ensino municipal (7 unidades), estadual (2 unidades), particular (2 unidades) e 3 creches.

A saúde em Bambuí conta com sete Unidades Básicas de Saúde, UBS, uma Policlínica Municipal e dois hospitais, Hospital Nossa Senhora do Brasil e Hospital da FHEMIG.

Bambuí é reconhecida internacionalmente pelo fato de terem sido desenvolvidos na cidade os estudos que aprofundaram o conhecimento científico e combate da moléstia tripanossomíase americana, vulgarmente conhecida como Doença de Chagas. Estes estudos foram determinantes para o melhor conhecimento dessa doença, com os trabalhos desenvolvidos nas décadas de 40 e 50 pelo grupo de pesquisadores reunidos no Centro de Estudos e Profilaxia da Moléstia de Chagas, posto do Instituto Oswaldo Cruz no município de Bambuí onde atuou o médico mineiro Ezequiel Dias.

Bambuí tem transporte coletivo urbano ligando os bairros da cidade, o IFMG e a Comunidade São Francisco de Assis (FHEMG). O município tem ônibus diários para Belo Horizonte, Brasília, São Paulo, Uberlândia e cidades vizinhas.

 

História/IBGE

Bambuí 
Minas Gerais - MG 

Histórico 

OS PRIMEIROS exploradores das terras de Bambuí Capitão-mor João Veloso de Carvalho e Antônio Rodrigues Velho, vieram de Pitangui para se dedicarem a exploração de ouro. Durante a ocupação das sesmarias, enfrentavam a resistência dos índios caiapós e dos escravos aquilombados. O povoamento mais intenso só se verificou depois das entradas iniciadas em 1765, com dezenas de pessoas 
A origem do topônimo, registra, entre outros significados, Rio dos Bambus, Rio de Águas Sujas, Rio de Gravetos Torcidos. Os naturais de Bambuí são chamados de bambuienses. 

Gentílico: bambuiense 

Formação Administrativa 

Distrito criado com a denominação de Santana do Bambuí, por alvará de 23-01-1816 e por lei estadual nº 2, de 14-09-1891, subordinado ao município de Formiga e Piumhí. 
Elevado à categoria de vila com a denominação de Santana do Bambuí, pela lei provincial nº 2785, de 22-09-1881, desmembrado os municípios de Formiga e Piumhí. Sede na povoação de Santana do Bambuí. Constituído de distrito sede. Instalado em 17-01-1885. 
Elevado a condição de cidade, com a denominação de Bambuí, pela lei provincial nº 3387,de 10-07-1886. 
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de estado sede. 
Assim permanecendo em divisão territoriais datada de 31-XII-1936 e 31-II-1937. 
Pelo decreto estadual nº 148, de 17-12-1938, é criado o distrito de Medeiros e anexado ao município de Bambuí. 
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Bambuí e Medeiros. 
Pela lei estadual nº 336, de 27-12-1948, é criado o distrito de Tapiraí, ex-povoado de Estação de Bambuí e anexado ao município de Bambuí. 
No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído de 3 distritos: Bambuí, Medeiros e Tapiraí. 
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950. 
Pela lei estadual nº 1039, de 12-12-1953, desmembrada do município Bambuí o distrito de Tapiraí. Elevado a categoria de município. 
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 2 distritos: Bambuí e Medeiros. 
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. 
Pela lei estadual nº 2764, de 30-12-1962, desmembra de município de Bambuí, o distrito de Medeiros. Elevado a categoria de município. 
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de município sede. 
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. 

Alteração toponímica municipal 
Santana do Bambuí para simplesmente Bambuí alterado, pela lei provincial nº 3387, de 10-07-1886.

Fonte IBGE

 

Código do Município

3105103

Gentílico

bambuiense

Prefeito

OLIVIO JOSÉ TEIXEIRA

 

POPULAÇÃO

 
 

População estimada [2018]

23.757 pessoas  

 
 

População no último censo [2010]

22.734 pessoas  

 
 

Densidade demográfica [2010]

15,62 hab/km²  

 

Trabalho e Rendimento

Em 2016, o salário médio mensal era de 2.0 salários mínimos. A proporção de pessoas ocupadas em relação à população total era de 17.0%. Na comparação com os outros municípios do estado, ocupava as posições 122 de 853 e 218 de 853, respectivamente. Já na comparação com cidades do país todo, ficava na posição 1807 de 5570 e 1662 de 5570, respectivamente. Considerando domicílios com rendimentos mensais de até meio salário mínimo por pessoa, tinha 29.7% da população nessas condições, o que o colocava na posição 773 de 853 dentre as cidades do estado e na posição 4732 de 5570 dentre as cidades do Brasil.

 


TRABALHO E RENDIMENTO

 

 

 

Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2016]

2,0 salários mínimos  

 
 

Pessoal ocupado [2016]

4.078 pessoas  

 
 

População ocupada [2016]

17,0 %  

 
 

Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]

29,7 %  

 

Educação

Em 2015, os alunos dos anos inicias da rede pública da cidade tiveram nota média de 7.1 no IDEB. Para os alunos dos anos finais, essa nota foi de 4.9. Na comparação com cidades do mesmo estado, a nota dos alunos dos anos iniciais colocava esta cidade na posição 26 de 853. Considerando a nota dos alunos dos anos finais, a posição passava a 245 de 853. A taxa de escolarização (para pessoas de 6 a 14 anos) foi de 98.6 em 2010. Isso posicionava o município na posição 188 de 853 dentre as cidades do estado e na posição 1139 de 5570 dentre as cidades do Brasil.


EDUCAÇÃO

 

 

 

Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]

98,6 %  

 
 

IDEB - Anos iniciais do ensino fundamental [2015]

7.1  

 
 

IDEB - Anos finais do ensino fundamental [2015]

4.9  

 
 

Matrículas no ensino fundamental[2017]

2.367 matrículas  

 
 

Matrículas no ensino médio [2017]

1.185 matrículas  

 
 

Docentes no ensino fundamental [2015]

178 docentes  

 
 

Docentes no ensino médio [2017]

165 docentes  

 
 

Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2017]

12 escolas  

 


ECONOMIA

 

 

 

PIB per capita [2015]

20.080,48 R$  

 
 

Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]

74,2 %  

 
 

Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]

0.741  

 
 

Total de receitas realizadas [2017]

59.214,00 R$ (×1000)  

 
 

Total de despesas empenhadas [2017]

53.263,00 R$ (×1000)  

 

Saúde

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 11.95 para 1.000 nascidos vivos. As internações devido a diarreias são de 1.5 para cada 1.000 habitantes. Comparado com todos os municípios do estado, fica nas posições 379 de 853 e 158 de 853, respectivamente. Quando comparado a cidades do Brasil todo, essas posições são de 2768 de 5570 e 1887 de 5570, respectivamente.


SAÚDE

 

 

 

Mortalidade Infantil [2014]

11,95 óbitos por mil nascidos vivos  

 
 

Internações por diarreia [2016]

1,5 internações por mil habitantes  

 
 

Estabelecimentos de Saúde SUS[2009]

16 estabelecimentos  

 

Território e Ambiente

Apresenta 88% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 42% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 11.5% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). Quando comparado com os outros municípios do estado, fica na posição 98 de 853, 621 de 853 e 563 de 853, respectivamente. Já quando comparado a outras cidades do Brasil, sua posição é 546 de 5570, 4434 de 5570 e 2631 de 5570, respectivamente.


TERRITÓRIO E AMBIENTE

 

 

 

Área da unidade territorial [2017]

1.455,819 km²  

 
 

Esgotamento sanitário adequado [2010]

88 %  

 
 

Arborização de vias públicas [2010]

42 %  

 
 

Urbanização de vias públicas [2010]

11,5 %